Presidência Nacional do PMDB

Câmara dos Deputados

Ed. Principal Ala B sala 6, Praça dos Três Poderes

Brasília - DF - CEP 70160-900

pmdbnacional@gmail.com

(61) 3215-9206 / 3215-9209




X

Perseverar na travessia da ponte

Moreira Franco (*)

19 de julho de 2017

O governo Temer demonstrou mais uma vez sua solidez e compromisso com a Nação. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara votou contra a admissibilidade da denúncia frágil e inepta que tenta desestabilizar a agenda reformista, de retomada do crescimento e geração de empregos.

Na volta do recesso parlamentar, enterraremos definitivamente a narrativa fantasiosa do notório sujeito que recebeu perdão por mais de 200 crimes – e hoje goza de vida nababesca em Nova Iorque -, enquanto o país sofre com 14 milhões de desempregados.

Se há um lado positivo nisso tudo é o de demonstrar, novamente, que a base aliada é robusta, fruto do princípio que norteia esta administração: a de um governo parlamentar, em que Executivo e Congresso governam juntos. E é este modelo, conduzido pelas mãos firmes e experientes do presidente Temer, o único capaz de aprovar as reformas que vão mudar o país.

Quero lembrar que, mesmo antes de chegar à Presidência da República, o presidente firmou compromissos na “Ponte Para o Futuro”. O documento, elaborado pela Fundação Ulysses Guimarães, estabelece objetivos claros, que vão do ajuste fiscal à reforma da Previdência.

Pois bem; completamos um ano e dois meses de administração, e posso afirmar que, em tempo recorde, colocamos o país de volta no rumo do crescimento.

O Brasil está “entrando nos trilhos”. A memória às vezes é curta e traiçoeira. Mas não nos esqueçamos de que, no governo anterior, a inflação alcançou escorchantes 10,7%.  O IPCA do mês passado caiu para 3% em 12 meses, o menor patamar em uma década! A taxa Selic deve terminar o ano em 8,25%.

Para completar, o país saiu de dois anos de profunda recessão. E a maior beneficiada não é a economia, é a população. São os trabalhadores que vão usufruir dos menores preços no supermercado, do combustível mais barato, do crediário com juros mais baixos, dos postos de trabalho que se abrirem com a volta do crescimento.

Além, claro, dos saques das contas inativas do FGTS. Dinheiro no bolso de mais de 30 milhões de brasileiros.

Apesar do intenso bombardeio político, aprovamos a Modernização Trabalhista no Senado. Foram 50 votos a 26. A modernização das leis trabalhistas preserva as conquistas da CLT, ao mesmo tempo que insere o Brasil no modelo de legislação dos países desenvolvidos. Abre-se assim a possibilidade de trazer milhões de brasileiros para a formalidade, sem ameaçar empregos existentes, e incentivar empresários a criar novas vagas.

Poderia falar aqui de outras conquistas do governo, como a renegociação das dívidas dos estados – que salvou muitos da falência completa -, a repatriação de recursos – que igualmente beneficiou estados e municípios – a PEC do Teto de Gastos, que impôs o ajuste fiscal exigido há décadas.

Os compromissos explicitados na “Ponte para o Futuro” têm sido cumpridos à risca. Queremos seguir com a nossa agenda para transformar o Brasil.

No segundo semestre, retomaremos a reforma da Previdência. Nosso esforço será para aprovar o texto ajustado e elaborado a quatro mãos com o Congresso. Esta reforma vai garantir a aposentadoria do trabalhador brasileiro, acabar com privilégios de amplos setores da máquina governamental e preservar as contas públicas. Este é o nosso compromisso com o Brasil. Vamos em frente!

(*) Secretário-geral da Presidência

Artigo publicado no Blog do Noblat – em 19 de julho de 2017

Flickr Youtube Facebook Rss